Flores comestíveis: fazenda investe em orquídeas para a culinária

Propriedade de SP cultiva 30 tipos e comercializa para restaurantes de alta gastronomia

Publicado em 09/11/2016
Postado em: Decoração,Notícias

Apreciar um pequeno buquê de flores misturado à salada verde ainda não é um costume muito comum entre os brasileiros. Mas acredite, o mercado de flores comestíveis está crescendo proporcionalmente ao número de propriedades que investem na plantação das espécies. Pioneira, a Fazenda Mariana, em Cerquilho (SP), planta 30 tipos e agora vem investindo no cultivo de orquídeas comestíveis.

Em uma área de dois hectares, a família Gaiotto passou a cultivar, entre hortaliças e ervas, alguns canteiros com flores populares na culinária: calêndula e rosa. O negócio cresceu, e novas variedades entram no canteiro, como a cravinha e tagetes. 

As flores são manejadas como hortaliças: as espécies sensíveis são mantidas em estufas, enquanto as resistentes permanecem ao ar livre. São utilizados apenas adubos orgânicos e a compostagem é feita de resíduos de granja.

Preço

As orquídeas comestíveis, por conta da sazonalidade, são mais caras: a unidade custa mais de R$ 5, porque geralmente florescem uma ou duas vezes por ano. Habilitada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a fazenda pode desenvolver o beneficiamento e higienização das flores comestíveis. Depois de processadas, as espécies são refrigeradas e enviadas para diversos Estados. Uma caixinha, com 40 unidades, custa, em média, R$ 24.

Os principais clientes são ainda restaurantes de alta gastronomia, que recebem as flores no máximo no dia seguinte à colheita, para aproveitar o sabor e a aparência.

Foto: Divulgação